Dicas e Práticas para o Desenvolvimento

Mariana Soares é praticante de Yoga há mais de 17 anos e é professora de Hatha Yoga e Meditação há 10 anos. É fundadora do Espaço Akasha, um estúdio de Yoga e Meditação. É jornalista por formação, pós-graduada em Arteterapia, Facilitadora de Alinhamento Energético – Fogo Sagrado, Facilitadora de Constelação Familiar Sistêmica, Facilitadora de Cura Reconectiva e Reconexão, Terapeuta Reiki e Floral, Massoterapeuta de Yoga Massagem Ayurvédica. Mariana tem um estúdio de Yoga chamado Espaço Akasha, no Humaitá.  Está sempre estudando e reciclando, nos últimos anos viajou para a Índia para fazer retiros e praticar com professores indianos. Email: Yogamariana@gmail.com; Blog: www.akashayoga.blogspot.com

YOGA E QUALIDADE DE VIDA
O Yoga é uma ciência, uma filosofia, um estilo de vida, mas meu foco aqui é a prática do Hatha Yoga, que tem como objetivo fazer a ponte entre o corpo e a mente, preparando-os para a meditação,  proporcionando mais saúde e qualidade e vida.
Na prática de Hatha Yoga purificamos o corpo através de posturas psicofísicas e exercícios respiratórios, experimentando assim mais flexibilidade, resistência, equilíbrio, estabilidade e consciência do corpo e da mente. Em pouco tempo de prática os alunos relatam os benefícios e efeitos sentidos no corpo e na mente. Melhoram as dores na coluna, a ansiedade, a insônia, a respiração se torna mais consciente. Também experimentam mais consciência em relação a sua postura na hora de sentar em frente ao computador e desenvolver pequenas tarefas em seu dia a dia com mais calma e alegria.
Ao sair da rotina e dedicar um tempo do dia para a prática de Hatha Yoga, cria-se um momento de pausa, de desligar-se das preocupações e afazeres, investindo nos cuidados consigo mesmo.  Afinal, é preciso estar com o corpo e a mente saudável para a dedicação à família, aos estudos, ao trabalho, ao autoconhecimento, aos relacionamentos, até mesmo ao lazer.
Algumas posturas simples são fundamentais para preparar o corpo para meditar. O importante é manter a atenção plena no seu corpo e na sua respiração quando estiver praticando, assim desenvolverá uma percepção para sentir firmeza e conforto nas posturas, inclusive durante a meditação. Uma dica é fazer a sua prática com a ajuda de props como cinto, mantas, blocos, almofadas – sempre respeitando os limites de seu corpo.
Uma prática fácil e que traz resultados incríveis é a da respiração consciente. Quando o corpo dá sinais de esgotamento, uns sentem aperto no peito, que muitas vezes é um sinal de tensão ou ansiedade, outros sentem dores ou gases abdominais, dor de cabeça, cansaço. Esse é o momento de prestar atenção à respiração. O mesmo acontece quando a mente está agitada, sem foco – os pensamentos drenam a energia do corpo e geram tensão. É fácil perceber que nestes estados a respiração é superficial, a partir do peito.
Experimente sentar-se ou deitar-se numa postura confortável e por um minuto inspirar pelas narinas e exalar pela boca, soltando todas as tensões do corpo, repita até sentir que relaxou todo o corpo, se sentir necessidade solte um som ou um suspiro junto com o ar.  Observe seu corpo, as sensações. Agora feche os olhos e leve as mãos na região do baixo ventre, inspire pelas narinas expandindo o baixo ventre e o abdômen e exale pelas narinas esvaziando todo o ar dos pulmões. Faça de dez a trinta ciclos da respiração abdominal, ao final observe os efeitos. O ideal é que você faça uma contagem mental para manter o mesmo ritmo para inspirar e exalar. Inspira 1, 2, 3, 4, pausa, exala 4,3,2,1, pausa.
Como se sente? Se tiver mais tempo, permita que a respiração de torne profunda e longa, expandindo abdômen, tórax e peito ao inspirar, retendo o ar e ao exalar esvaziando todo o ar dos pulmões. Faça a contagem na mente sugerida acima e repita de dez a trinta ciclos da respiração completa. Relaxe e observe os efeitos.
A respiração nos conecta com um espaço interior de calma e vitalidade. Portanto, sempre que se sentir sem energia, cansado, sem concentração, ansioso – experimente usar a respiração consciente, pois ela é a chave para o equilíbrio. Assim que começar a respirar profundamente, se energizando com o prana (energia vital ou bioenergia) – a mente se acalma e há um relaxamento do corpo e da mente. Em vez de sentir-se drenado, estará mais alerta e sensível ao que acontece ao redor – mais presente no agora. Respirar com consciência hoje trará mais foco, ânimo e criatividade!
É claro que esse exercício não substitui as aulas de Hatha Yoga com um professor, pois o trabalho é muito mais completo.
Namaste!
Agenda do Espaço Akasha:
-Yoga Verde no Parque Lage, sábados, 03 e 24 de agosto, 10h.
-Roda de Cura de Alinhamento Energético – 02 e 23 de agosto, sextas, 18h30
-Retiro de Yoga e Meditação da Primavera 2013 – 20 a 22 de setembro, em Paty de Alferes
Informações: yoganohumaita@gmail.com e www.akashayoga.blogspot.com

Jose Quirino Matos

Formado em Engenharia Química pela Universidade Federal Rural do RJ e com 1 ano de especialização em meio ambiente na Alemanha sobre poluição atmosférica. Trabalha no INEA – Instituto Estadual do Ambiente como Engenheiro, onde promove reuniões quinzenais de meditação. Email: josepeixes@yahoo.com.br

ALIMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

O que comer? Quanto comer? Quando e como comer?
Manter a alimentação com suprimentos energéticos adequados é um suporte para a vida, para as células que misturam os elementos químicos – nutrientes presentes nos alimentos, com oxigênio e transforma em energia para o cérebro que regula os diversos sistemas do corpo para mantê-lo vivo, conforme Deepak Chopra.
1. O que comer?
Adquirimos uma cultura alimentar dentro da família, e a enriquecemos com a cultura que recebemos do mundo atual, pela mídia, através das pesquisas científicas, da medicina, das estatísticas, para viver uma vida urbana, onde buscamos a saúde com o objetivo do bem estar. No entanto, o que é mais apropriado para mim? Como aprender? Será que poderia confiar na minha intuição? Ah!! Eis a questão.
2. Como Praticar o conhecimento de si mesmo na alimentação?
É uma tarefa que nos leva a uma percepção maior sobre como comer, avaliando: o tipo de alimento, quantidades e combinações, momento da refeição e do meu estado emocional. O primeiro ponto a ser praticado é a presença no momento de cada refeição, que já promove a possibilidade de ter a mente quieta, que me levará a uma escolha mais consciente. Significa escolher os alimentos mais saudáveis e agradáveis e desfrutar com equilíbrio e prazer,  além de alimentar o organismo com os nutrientes necessários. O segundo ponto para mim é poder reverenciar este momento, respeitá-lo internamente, ou seja: agradecendo, orando, ficando em silêncio ou simplesmente fechando os olhos por um instante e observando a respiração. No entanto, é importante observar que numa refeição em meio a conversas, muitas vezes, não nos damos conta dos alimentos e nem da mastigação.
3. Vamos então imaginar 2 situações:
1 – Quando no entusiasmo de uma conversa engulo um pedaço de pão, juntamente com a bebida: Este pedaço de pão precisa ser bem mastigado para ser digerido na boca, do contrário ficará encharcado, aumentará de tamanho pela fermentação e vai gerar gases, que dilatam o estômago. Se o pedaço de pão for engolido com cerveja, que é uma bebida fabricada por fermentação, através da adição de fermento, o processo de fermentação no estomago será intensificado. É possível, nesses casos, que não se perceba o momento em que o estômago avisa, através do cérebro, que ele está suficiente cheio.
2 – Resolvi comer a refeição saudável sem beber nenhum líquido para não encher o estômago, além de prestar a atenção na mastigação. Assim, a mente ficará focada e irá perceber o aviso do estômago, através da respiração, quando devo parar de comer. Neste momento, posso conscientemente parar de comer e deixar livre o espaço vazio de 1/3 do volume do estômago, que é o ideal para que o ar ajude na digestão. O resultado será: evitar o estômago dilatado e cheio que as vezes nos tira energia de outras funções importantes, como a capacidade intuitiva e a disposição.
Meu foco:
No momento atual de minha vida, aos 57 anos, sinto-me merecedor de uma vida de contentamento e serenidade. Tenho uma esposa maravilhosa, gosto do meu trabalho como engenheiro químico no INEA – Instituto Estadual do Ambiente, de ser criativo, de praticar a arte da meditação, do canto de mantras, e de praticar diariamente hatha yoga com ênfase na respiração. Além disso, tenho praticado com mais consciência a arte da alimentação. Tenho trilhado este caminho do conhecimento da alimentação desde 1981, provando o vegetarianismo e outras culturas.  Surge na memória, no início anos 80, que o dono de um restaurante macrobiótico dava a instrução para mastigar uma colher de arroz integral 60 vezes.  Naquela ocasião, tinha imagens da minha juventude no interior da Bahia, das vacas sentadas no pasto, ruminando o capim. A imagem era de quietude, de desaceleração. Aos poucos fui entendendo e praticando a mastigação consciente que contrasta com o ritmo dos dias atuais. Mas acho que devo praticá-la com mais atenção para experimentar também o estado de quietude. Além do aquietar da mente, sei do quanto preciso estar presente, focado no ato de comer, para não permitir que as emoções comandem este momento.
Observações:
1. Cada momento, a cada garfada reações simples e complexas acontecem no organismo, no interior das células que emitem sinais sobre os excessos e sobre os ingredientes inadequados. Esta reação é uma proteção da maravilhosa máquina que temos.
2. O cérebro codifica estes sinais transformando em sensações e emoções.
3. Precisamos aquietar mais a mente para usufruirmos da capacidade intuitiva e da sabedoria que já temos para escolher melhor os alimentos e a atitude para comer.
4. Estar atento ao presente momento nos dará apoio para perceber melhor os sinais do nosso corpo, para mantermos o estado de quietude e desfrutar da alegria de viver.

Lucia Cordeiro é terapeuta corporal, dançarina e coreógrafa de Danças Circulares. Mora no Rio de Janeiro e dá cursos no Brasil e exterior. Membro do Conselho Internacional da Dança – UNESCO. Email: luciahcordeiro@hotmail. com

LUCIA CORDEIRO COMPARTILHA SEUS TESOUROS

Desde menina amo dançar. Minha formação inclui ballet clássico, dança contemporânea e o Jornalismo, caminho escolhido para chegar à Arte. Estudei nos Estados Unidos e na Universidade Federal da Bahia. Nesta trajetória fiz vasta aprendizagem em técnicas corporais com Angel e Klaus Vianna, adquirindo excelente bagagem  que me propiciou trabalhar como terapeuta e com atores. Em parceria com Berenice Kuenerz participei de workshops e encontros abertos no Instituto da Pessoa, numa experiência muito enriquecedora. Trabalho unindo a Consciência Corporal ao movimento, seja ele espontâneo ou em Dança Circular.O resultado é a ampliação da percepção de si mesmo, um sentimento de liberdade, comunhão e profunda alegria.

Compartilho aqui pequenas dicas pessoais que ajudam a manter-me saudável.
2013 é um ano regido por Saturno. Ele pede introspecção, discernimento e auto capacitação.
1. Não me comparar aos outros.
Lembrar que sou um projeto único da vida e meu manual de instrução está disponível em meu interior, desde que eu permita acessa-lo seguindo a intuição.
2. Ativar o amor incondicional por mim mesma.
Ao invés de me criticar, abrir o coração para aceitar minhas falhas. Sempre. Neste processo percebo as origens do meu comportamento, acato as lições e sou capaz de mudar minhas atitudes.
3. Manter minha energia corporal atualizada.
Aproveitar as lidas domésticas como minha academia pessoal, desfrutando do lavar, varrer, cozinhar como atividades prazerosas (a maioria das vezes! -risos-). Fazer ioga, dançar, rir com um parceiro ao giro de um bolero, pegar sol de manhãzinha na praia, curtir o dom de ter um corpo saudável , que se auto organiza , é meu templo e companheiro de jornada.
4. Cultivar as amizades.
Ah, aqui jaz um tesouro… os amigos! Das maiores joias desta vida, o desfrutar de sua companhia e cumplicidade. Principalmente com as amigas mulheres, nisto incluindo minhas duas filhas.
5. Conexão Espiritual.
Que ancora e propicia que todas as outras aconteçam. Lembrar, ao acordar e ao deitar, e todas as vezes que puder durante o dia, de agradecer a oportunidade de estar viva fazendo este aprendizado. De ser coadjuvante e testemunha deste momento planetário, rico e turbulento. De ter a oportunidade de, ao colocar minha luz para brilhar, ajudar a construir um mundo melhor, digno e justo para todos.

Carolina Muniz Ferreira

Médica e Terapeuta de Alinhamento Energético

ALINHAMENTO ENERGÉTICO

Há cerca de duas décadas, os brasileiros Monica Oliveira, fisioterapeuta e médium Kardecista, e o xamã Dior Allem, pesquisador de métodos de cura em tribos indígenas, desenvolveram a técnica terapêutica do Alinhamento Energético, também conhecida com Fogo Sagrado.

Esta técnica terapêutica, sem cunho ritualístico ou religioso, tem como objetivo a transmutação de “corpos energéticos” em “corpo em luz”.

Os corpos energéticos são formados por padrões vibratórios repetitivos instalados em nosso campo energético, a partir das inúmeras experiências que enfrentamos na vida. Podem ser passados como herança genética ou padrões de outras vidas que nos fazem atrair as mesmas situações desagradáveis.

O trabalho pode ser feito à distância ou na presença da pessoa. Geralmente são dois terapeutas, um canalizador e um dirigente, e se divide em três partes. A pessoa pode ou não trazer uma questão para ser resolvida, mas é importante frisar que o material a ser trabalhado é revelado pelo subconsciente do paciente durante a sessão.

Primeiramente, é feita uma leitura do campo energético da pessoa, quando então as sensações e visões serão interpretadas. Em seguida, é realizada a captação de um corpo energético pelo canalizador, que dá voz e expressão a esse corpo.

Nesta etapa o dirigente convida ou convence esta fração do subconsciente da pessoa a transmutar-se em uma energia de luz. Todo o processo é feito com a presença de uma Egrégora de guardiões de uma dimensão de luz.

Os terapeutas são auxiliados por esses guardiões, que são símbolos de energia de luz, para encaminhar o corpo energético para uma dimensão de luz, da qual ele voltará para pessoa transmutado como “corpo em luz”.

O corpo em luz é a nova freqüência vibratória que será instalada no campo do paciente com o auxílio de um mantra. O mantra funciona como uma ferramenta para sedimentar o novo padrão energético de luz, e deve ser repetido quando a pessoa perceber que está voltando à antiga freqüência.

Como temos inúmeros corpos energéticos a ser transmutados em corpos em luz, este trabalho pode ser realizado a cada três meses.

Formei-me em medicina em 1997, na Universidade Federal Fluminense, com especialização em Gastroenterologia. Porém, desde o início da prática da minha profissão me sentia desconfortável com as limitações dos métodos terapêuticos de nossa medicina. Ficava sempre a sensação do incompleto, do não resolvido.

Depois de alguns anos na lida com pacientes crônicos, com queixas recorrentes, percebi que a maioria das enfermidades físicas era precedida de fatores emocionais significativos, e decidi seguir na busca do “algo a mais”.

O Alinhamento Energético me permitiu entrar no campo sutil para facilitar e auxiliar no processo de cura de cada um. Logo no começo percebi que “a cura” vem do próprio enfermo, o médico (ou terapeuta) age como canal por onde a energia do paciente flui. Somos todos potenciais curadores de corpo e de alma!

Não devemos deixar que os corpos energéticos que sedimentamos em nosso campo (aura) acabem virando enfermidades físicas e mentais. Quando entramos em “estado de looping”, com padrões reativos recorrentes e de baixa vibração, logo sentimos acometimentos físicos. O bolo na garganta, a dor no peito, a dor de cabeça são muitas vezes as manifestações físicas dos corpos energéticos.

Deixo como indicação a importância de estarmos em contato com o nosso intimo, de prestarmos atenção em nossas atitudes e nas sensações que determinadas situações nos trazem, de modo que possamos identificar alguns corpos energéticos e encaminhá-los para a dimensão de luz.

Lembrem-se de que o mais importante neste processo de auto-alinhamento é o recebimento desta energia transmutada, o corpo em luz. O corpo em luz vem como uma bênção de nosso eu superior, trazendo a oportunidade de darmos um novo significado a uma experiência passada e, assim, de torná-la positiva para o nosso crescimento.

E aqui fica o nosso mantra de encerramento: ALEGRIA!

IRACEMA FANZERES

Arquiteta com especialização em Feng Shui, Geobiologia e Radiestesia

NA HORA H!

Vários aspectos costumam ser levados em consideração quando escolhemos a nossa moradia: se queremos apartamento ou casa, andar baixo  ou andar alto, frente ou fundos , e por aí vai. Mas na maioria das vezes, nos esquecemos de verificar as características que podem influenciar na qualidade do nosso sono, na nossa energia e até na nossa saúde. Como não existe uma maneira rápida, infalível e mágica, quando chegar a hora H siga um roteiro básico, que se vale de técnicas milenares como Feng Shui, Geobiologia e Radiestesia.

O imóvel não deve estar voltado para uma rua terminada em “T”, principalmente se o fluxo do trânsito for no sentido do imóvel. (foto 1)

Com a bússola devemos medir o sentido da entrada da energia no lote ou no imóvel. Os que a frente  apresente três graus, de cada um dos dois eixos que dividem o círculo de 360º,  devem ser evitados. Esses pontos são chamados locais de mau Feng-shui. (foto 2)

Uma vez que a energia “entra dividida”, impedindo a definição clara do ponto cardeal da frente e da base do imóvel, fica inviabilizada a marcação das estrelas favoráveis e desfavoráveis existentes no local.

A fachada do imóvel, pela escola da Forma, deve dar, ou se abrir, para uma vista “livre”, “agradável”, e sem “radiação”. (Foto 3)

Vista livre, sem obstáculos, vendo o horizonte distante sem prédios, sem paredões. Agradável, com claridade, boa ventilação, sem a visão de matadouros ou lixões. Distar pelo menos 500m de antenas de celular, antenas de alta tensão e de geradores. (foto 4)

Outra informação muito importante é ser verificada, com o pêndulo, a existência de energia telúrica no subsolo. Energia telúrica é a energia emanada pela Terra; ocorre a partir do centro da Terra, subindo perpendicularmente à superfície terrestre. Como toda energia, essa afeta os seres vivos, de forma positiva (como o magnetismo), ou negativa (como veios d’água subterrâneos). Por isso, se ela existir, não devemos ter aí nossa cama, nem nossa mesa de trabalho, uma vez que são locais onde permanecemos muitas horas.   As principais linhas que existem no subsolo são Curry, Hartman e Peyré, cada uma tem eixos e dimensões próprias. Devemos evitar essas linhas e principalmente seus cruzamentos, porque estes pontos propiciam o aparecimento de doenças crônicas e não existe solução de “cura” para esses locais.  O quarto de dormir é o cômodo mais importante da casa, porque é nele que passamos mais tempo. É muito importante tentar retirar o máximo de aparelhos eletrônicos (TV, computador, celular, etc); o excesso de campo magnético no local onde dormimos pode ser responsável por alterações nas fases do nosso sono.

Trate o seu quarto como um lugar de poder, mantenha-o limpo, arrumado, arejado e iluminado.

Por isso, esteja sempre atento à sua relação com sua moradia.

Você dorme bem?

Tem boa saúde?

Não existem objetos em excesso?

A energia circula livremente?

Se você respondeu afirmativamente a essas perguntas, parabéns! Você escolheu bem.

Maria de Salete Cabral Salles

Psicóloga Clinica com formação na Terapia Centrada na Pessoa e Gestalt Terapia. Especialização em Terapia de Casal e Família. Psicanalista membro do Espaço Brasileiro de Estudos Psicanalíticos. Email: msaletesalles@globo.com

GANHOS E PERDAS NA MEIA-IDADE

A meia idade, de acordo com a literatura referente a Psicologia do Desenvolvimento do Adulto, abrange uma faixa etária que se estende dos 36 aos 65 anos, sendo uma etapa de muitos questionamentos e ressignificações da existência humana.

Nessa etapa da vida descobrimos que fazemos parte de um mesmo grupo com boas razões para brindar os bons acontecimentos da vida como também vivenciar o seu lado sombrio. O processo de envelhecimento é inerente ao viver, uma experiência de perdas e ganhos, um momento de muitas mudanças no ciclo de vida, como a experiência do ninho vazio, o crescimento dos filhos e a chegada dos netos. Neste período também surge a oportunidade de reescrever a própria história, enveredando para experimentar novos prazeres na vida, como por exemplo, descobrir uma nova carreiran iniciar novos projetos e vivenciar outra maneira de se relacionar.

Essas mudanças e descobertas da meia-idade estão presentes na literatura e no cinema. O escritor Gabriel Garcia Márquez, em sua obra “Memórias de minhas putas tristes”(2007), narra a experiência de um idoso de 90 anos descrevendo a sua percepção do processo de envelhecimento,  “O amor nos tempos de cólera”(1985),  nos conta a história de Florentino, que espera Fermina por mais de 50 anos para declarar o seu amor. No cinema, o filme “Elza & Fred – um Amor de Paixão” pode ser visto como exemplo de relacionamento numa idade mais avançada, onde Elza uma senhora sonhadora e alegre,  investe toda a sua energia para conquistar o seu vizinho.

Uma das virtudes ligada à meia-idade é a experiência, pois ela  nos possibilita posicionar diante da vida de uma forma diferenciada, sem ambicionarmos mais um sonho impossível.

Parafraseando Lya Luft, “a vida não tece apenas uma teia de perdas, mas nos proporciona uma sucessão de ganhos.”

Dicas para o desenvolvimento:

A atividade física é fundamental para vencer o sedentarismo, um dos desafios da época contemporânea, e o cuidadoso esforço rotineiro é um fator de proteção para prevenção de várias  doenças. Todas as vezes que praticamos um exercício físico massageamos a parede dos nossos vasos sanguíneos. E quando completamos  com  o treinamento de força (musculação) adquirimos outros benefícios. As influências da atividade física se fazem presente em vários aspectos, na vida social por facilitar a interação das pessoas, no psicológico, estimulando a aprendizagem e no aspecto físico promovendo o aumento da capacidade cardiovascular.

A Dança de Salão, também chamada de Dança da Longevidade é outro tipo de recurso utilizado na meia-idade. Segundo Carlinhos de Jesus, quanto mais cedo a pessoa começa a dançar maiores os benefícios, mas que nunca é tarde para entrar no salão. A dança é uma maneira de trabalhar o corpo estimulando a criatividade e a autoestima, como também uma oportunidade para começar novos relacionamentos, já que está atividade é praticada em grupo.

O lazer também é fundamental  na meia-idade, e a leitura pode ser inserida dentro dessa atividade prazerosa, possibilitando novos conhecimentos e exercitando a memoria.  A leitura também pode ser realizada em grupo, possibilitando uma troca de ideias e também o surgimento de novas amizades.

O bem-estar na meia-idade vai depender de uma “manutenção cuidadosa”, ou seja, do estabelecimento de uma rotina para cuidar do corpo e da mente, através da caminhada, da meditação, da dança, da aprendizagem de um novo instrumento musical, não importa, desde que proporcione muito prazer, pois pequenas mudanças diárias podem fazer grandes diferenças a longo prazo.

Mariana Kuenerz formou-se na instituição de ensino ESMOD Paris.

Pós-graduação — Estilismo e Modelagem

A ROUPA PODE MUDAR O ASTRAL?

Em todos esses anos que trabalho com moda e, principalmente nos últimos 7 anos, que venho trabalhando com noivas e vestidos sob medida, pude observar que a roupa pode sim ajudar no astral, mas o astral da pessoa, também influencia muito no resultado final do visual.

Quando uma cliente vai em meu atelier para fazer um vestido, na primeira conversa falamos sobre o que quer valorizar e o que quer disfarçar em seu corpo.

Todos temos qualidades e defeitos, mas o defeito que incomoda é o que a pessoa está observando em si mesma. Muitas vezes uma pessoa linda, com o corpo perfeito acha uma gordurinha que ninguém percebe, só ela mesma. O meu trabalho consiste em tentar esconder esta gordurinha e valorizar os aspectos que a cliente acha que são bonitos nela. Isso tudo para que se sinta bem e para que a roupa influencie positivamente no seu astral. Se a pessoa está se achando bonita com aquela roupa, certamente isso vai influenciar em seu astral.

As cores também são muito importantes para valorizar cada um. Dependendo do tom de pele, existem cores que podem cair melhor. Um estudo sobre cores qualifica as pessoas em 4 tipos de tom de pele; inverno, verão , outono e primavera. Para cada classificação existe uma cartela de cores específica que a pessoa pode usar e que são consideradas as cores ideais. Eu, por exemplo, sou inverno, fico melhor com prata do que dourado. O prata me ilumina e o dourado me apaga.

Portanto, as cores e o tipo de roupa podem valorizar os aspectos positivos de cada um, e desta forma fazer com que a pessoa se sinta mais bonita e aumente o seu astral.

Mas o astral da pessoa também interfere muito em sua beleza. Quando a pessoa está feliz e confiante, fica mais bonita e transparece isso para os outros. As vezes uma mulher linda que não está com astral bom pode até ficar feia. A Gisele Bundchen por exemplo é uma mulher linda e com muito alto astral. Existem outras modelos muito lindas também como ela, que poderiam fazer muito sucesso como modelo, mas que não tem o astral que ela irradia. Na minha opinião, é o conjunto de astral e beleza que fazem a Gisele ser considerada uma das mulheres mais bonitas do mundo.

Tenho uma cliente que admiro muito, ela é muito animada, tem energia muito positiva. Para os padrões de beleza ela é considerada bem gordinha, mas é tão confiante e tão alto astral que não se incomoda com isso. Ela transparece uma felicidade que ilumina toda a sua pessoa e, apesar de gordinha, aparenta ser mais bonita do que poderia ser considerada.

Sendo assim, vale a pena investir em um vestido e na cor que valorize, mas também é importante pensar sempre positivo e tentar ver sempre o lado bom das coisas. Ajudar o próximo também é algo que faz muito bem a alma….

Nestas fotos da atriz Diane Kruger podemos ver a diferença que uma boa produção e um lindo vestido podem fazer no visual e no astral da pessoa.

Nesta foto podemos ver como a Michelle Obama, que não é tão bonita quanto a modelo, mas tem alto atral e luz ficou bonita com o mesmo vestido que a modelo está usando.

Novas dicas de Tânia Muniz sobre Feng Shui

O Feng Shui orienta com principios, mas a escolha do que colocar na casa fica a critério do decorador, arquiteto e da própria pessoa.Não existe um modelo do que seria correto, cada um tem suas próprias escolhas, de acordo com a cultura, estória de vida, simbolos e etc. È por isso que a casa reflete as áreas da vida da pessoa que lá vive.

Aqui vão algumas fotos de quartos por serem o lugar mais importante da casa – passamos um terço da nossa vida lá.

No quarto de casal 1:

Tem cores do elemento metal (branco e cinza)-o que o torna frio -para “aquecer” um pouco o ambiente, foram introduzidas almofadas e flores vermelhas -do elemento Fogo (aquece o Metal e traz sensualidade para o ambiente).

No  quarto 2:

Também predomina o elemento Metal, sendo todo na cor branca. Neste caso, sem nenhum Fogo, o ambiente é gélido.

Quarto vermelho:

Neste quarto vermelho, já temos um excesso de Fogo, prejudicando o sono de quem dorme ali.

Quarto teto inclinado:

O quarto com teto inclinado em cima da cama, prejudica muito o sono e a saúde de quem dorme, pois, a energia chi não flui como deveria.

Quarto de bebê:

Um quarto de bebe com uma cor inteiramente inadequada! O laranja é uma cor energética demais (Fogo e Terra) para quarto de criança. É uma cor para sala de ginática.

Espero que lhes sejam úteis. Boa Sorte! Tânia Muniz.

Tânia Ferreira, consultora de Feng Shui

Arquiteta e Urbanista pela UFRJ e Mestre pela London University. Especializou-se em Feng Shui com o Llama Budista Tibetano A. Arto e em cursos da Feng Shui Network International, Holistic Environmental Engineering Ltd. e da School of Feng Shui, sediadas na Inglaterra. e-mail: tmferreira@terra.com.br

FENG SHUI

Arte-ciência milenar chinesa, o Feng Shui – que significa vento e água em chinês – constituiu um instrumento indispensável para a criação de um ambiente harmonioso. Frutos de 5 mil anos de observação da natureza pelo homem, seus princípios orientam desde a localização de prédios e o planejamento de cidades até a organização interna de uma residência, incorporando conceitos da física quântica, da eco-arquitetura e da psicologia ambiental. Quando aplicados, esses princípios criam harmonia entre as pessoas e o seu ambiente. A busca do Feng Shui indica a intenção, por parte de uma pessoa, de promover mudanças em sua vida, pois a disposição dos elementos (móveis, quadros, fotos, etc.) de uma casa, sua forma e localização refletem aspectos relacionados à prosperidade, relacionamentos, saúde, família, trabalho, sucesso, autoconhecimento e criatividade.

Dicas Práticas:

 Antes de aplicar as recomendações sugeridas pelo Feng Shui, faça uma limpeza geral na casa;

 A entrada da casa deve ser completamente livre, sem qualquer obstrução;

 Evite extremidades pontiagudas e arestas em móveis e objetos;

 Se houver vigas no teto, não se sente ou durma debaixo delas; não se sente de costas para portas;

 Conserte os vazamentos (inclusive torneiras pingando) assim que descobrir que estão ocorrendo;

 Mantenha as portas de banheiros fechadas, as tampas dos vasos abaixadas e os ralos cobertos;

 A cama deve ter cabeceira, uma parede atrás dela e sem espelho para refleti-la;

 Cuidado com o que é duplicado pelos espelhos – contas a pagar e remédios não devem ter suas imagens refletidas;

 Cuidado com aparelhos elétricos no quarto de dormir e com antenas de celulares, redes de alta tensão e transformadores que existam nos arredores;

 Plantas são elementos de cura do Feng Shui e indicadoras da energia da casa. Evite, na entrada da casa, as que tenham espinhos ou folhas pontiagudas.